Mulher morre soterrada em SP; 60 já morreram no estado

A casa desabou em função das fortes chuvas que atingiram a capital na tarde deste sábado

Priscila Trindade, da Central de Notícias

23 Janeiro 2010 | 20h30

A casa desabou devido às forças das águas da chuva e do Córrego Pirajussa

 

Uma senhora de 60 anos morreu soterrada na tarde deste sábado, 23, no Jardim Celeste, no Butantã, na zona oeste de São Paulo. A casa onde ela e outra mulher de 45 anos estavam desabou em razão das fortes chuvas que atingiram a capital. Com esta morte, chega a 60 o número de vítimas fatais pelas chuvas em São Paulo desde o dia 1º de dezembro de 2009.

 

Quatro viaturas do Corpo de Bombeiros foram enviadas para a Rua Margarida Izar para socorrer as vítimas. Ainda não há informações sobre o estado de saúde da sobrevivente na zona oeste. O corpo de bombeiros e representantes da Defesa Civil permanecem no local.

 

FALTA DE ENERGIA

 

Avenidas do Butantã, na região oeste de São Paulo estão sem luz desde às 14h30 deste sábado, 23. A Eletropaulo afirmou que equipes estão no local para restabelecer a energia elétrica nas avenidas Jaguaré, Escola Politécnica, Engenheiro Heitor Antônio Eiras Garcia e Rio Pequeno. Ainda não há previsão para retomar o serviço, que foi interrompido após galho de árvores caírem na rede elétrica. Nesta tarde, pancadas de chuva atingiram a região.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.