Mulher matava e ensacava gatos e cachorros na Vila Mariana

Polícia foi acionada por um detetive contratado por ONGs que receberam denúncias de moradores

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

13 de janeiro de 2012 | 04h29

Texto atualizado às 15h48

SÃO PAULO - Uma mulher identificada como Dalva Lima da Silva, de 43 anos, foi presa no final da noite de quinta-feira, 12, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, acusada de maus-tratos contra animais e crime contra a natureza. Pelo menos 33 animais, entre gatos e cachorros, foram encontrados mortos dentro de sacos de lixo, um deles na calçada, em frente à casa da vizinha da acusada.

Há 20 dias, organizações não-governamentais (ONGs) protetoras dos animais contrataram um detetive particular após receberem denúncia de pessoas que entregavam os cães e gatos, encontrados na rua, para Dalva, que prometia cuidar dos bichos.

Desconfiados de que ela estava matando os animais, estas pessoas resolveram denunciá-la às ONGs. Os sacos de lixo contendo os animais mortos, segundo a polícia, eram colocados na porta das casas vizinhas, junto ao demais sacos, para não levantar suspeita. Tudo era levado pelo caminhão de coleta de lixo.

Por volta das 23 horas desta quinta-feira, 12, o detetive testemunhou Dalva deixando um saco plástico em frente à casa vizinha. Policiais militares da 3ª Companhia do 11º Batalhão foram acionados e detiveram a acusada, que foi encaminhada para o plantão do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), no centro da capital.

Na casa dela, os policiais encontraram mais sacos e sedativos, que ela dava aos animais antes de matá-los. Há suspeita de que ela também realizava rituais religiosos porque o sangue dos bichos era retirado.

Durante depoimento, segundo um dos policiais civis, a mulher, que não aparentava nenhum sinal de distúrbio mental, chegou a contar várias histórias diferentes.

Ela assinou termo circunstanciado de crime ambiental, podendo ser processada e condenada a uma pena de 3 meses a um ano de prisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.