Mulher é encontrada enterrada na própria casa no litoral paulista

Bancária aposentada estava desaparecida há 2 meses; doméstica confessou que ocultou o cadáver, mas negou a autoria da morte

Marco Antônio Carvalho, Especial para o Estado

08 de outubro de 2014 | 13h22

SÃO PAULO - O corpo de uma mulher foi encontrado enterrado a mais de um metro de profundidade sob o chão da casa onde morava em Itanhaém, cidade do litoral paulista. A bancária aposentada Terezinha Barbosa, de 57 anos, estava desaparecida há mais de dois meses e a polícia conduziu escavações no imóvel na noite desta terça-feira, 7.

A empregada doméstica Lucila Barros Bezerra, de 50 anos, que trabalhava na casa, apresentou-se à polícia e informou que tinha enterrado Terezinha no chão do quarto da própria vítima. A polícia acionou o Corpo de Bombeiros, que escavou o local e encontrou o corpo sob uma camada de terra, cimento e piso que foi posto no local após o crime.

Apesar da confissão de ocultação de cadáver, Lucila não ficou presa, tendo sido liberada após prestar depoimento. De acordo com ela, Terezinha teria se suicidado ao ingerir veneno para insetos e a doméstica a enterrou após a morte. A polícia, no entanto, investiga a possibilidade homicídio e latrocínio no caso.

Isso porque, após a morte de Terezinha, Lucila sacou R$ 5 mil de um cheque da bancária e objetos foram furtados da residência. A investigação aguarda laudo sobre o que causou a morte da vítima para aprofundar a apuração. A família registrou boletim de ocorrência na data do desaparecimento e procurou pela bancária durante esses dois meses após a notícia do seu sumiço. 
Tudo o que sabemos sobre:
São PauloItanhaém

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.