Mulher é baleada e morre na Marginal do Tietê

Moto emparelha ao lado do veículo e dispara contra mulher de 63 anos que estava no banco do passageiro

Mônica Aquino, do estadao.com.br,

29 de novembro de 2007 | 11h57

Uma mulher morreu após ser baleada na Marginal do Tietê, após uma suposta tentativa de assalto na manhã desta quinta-feira, 29. Segundo as primeiras Polícia Militar, a mulher estaria no carro com o marido quando uma moto emparelhou ao lado do veículo. Mas, na verdade, o carro era guiado pelo advogado da família, Luiz Fernando Godo. Rita Carmen Fekete Hirsch, de 63 anos, foi atingida por cinco tiros disparados pelo garupa de uma moto, que sacou um revólver 38 e, sem falar nada, atirou.   A primeira hipótese levantada pela polícia era de que se tratava de uma tentativa de assalto e que o motorista teria tentado fugir. No entanto, o fato de todos os disparos terem sido feitos do lado do passageiro, sem atingir lataria ou pneus, faz a polícia acreditar em execução.. Normalmente, os bandidos abordam (e atiram) no motorista.   O motorista do veículo, que era advogado da família e não marido da vítima, como foi divulgado anteriormente, conseguiu seguir até o posto da Polícia Rodoviária Estadual, no km 12 da Rodovia Ayrton Senna. No carro, Rita ainda estava viva. Acionado, o helicóptero Águia da Polícia Militar não chegou a tempo de socorrer a vítima,  que morreu no local.   Texto alterado às 8 horas de sexta-feira, 30, para correção de informações. Ao contrário do que foi informado pela PM na tarde de quinta-feira, não há confirmação sobre se o caso se trata de uma tentativa de assalto e o motorista era advogado da vítima, não marido dela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.