Mulher de Bruno viu Eliza no dia que pegou o bebê

Depoimento pode mudar investigações e foi dado após Dayanne trocar de advogado de defesa; ela afirmou ainda que o próprio jogador entregou-lhe a criança, alegando que precisava viajar

Eliane Souza, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2010 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

BELO HORIZONTE

Dayanne Souza, mulher do goleiro Bruno Fernandes, afirmou que viu Eliza Samudio no sítio do goleiro, em Esmeraldas (MG), nos dias 7 e 10 de junho, segundo informou ontem o promotor Gustavo Fantini, do Ministério Público. A afirmação de Dayanne, que constituiu nova defesa, pode mudar o rumo das investigações, uma vez que se trabalhava com a hipótese de Eliza ter sido morta no dia 9.

Dayanne disse ainda que o próprio Bruno, no dia 10, entregou o bebê ? suposto filho do atleta com a jovem ? para ela, alegando que precisava voltar ao Rio e em seguida viajar. Conforme o MP, Dayanne resolveu prestar depoimento antes de falar em juízo, após conversar com familiares. Com o argumento de que não tem participação no desaparecimento e possível morte da ex-amante do marido, ela resolveu pronunciar-se e também contratou outro escritório de advocacia, dispensando Ércio Quaresma ? que defende Bruno e outros cinco suspeitos.

Conforme Walquer Azevedo, um dos novos advogados de Dayanne, a mudança foi necessária por conflito de interesses. "A partir desse momento (em que trocou os advogados), ela teve orientações da defesa respeitando sua vontade. E qual é a vontade dela? Falar até onde sabe." Quaresma disse que vai tentar retomar a defesa da ex-cliente, que, segundo ele, teria sido coagida pelo delegado Edson Moreira, chefe do Departamento de Investigação (DI), a rever a defesa.

Agressão. O advogado ainda denunciou ontem que seu cliente Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, foi agredido com um tapa no peito no interior do DI. Segundo ele, além do tapa, Macarrão foi jogado no chão. Quaresma disse que a agressão partiu do delegado Julio Wilke, quando perguntado se queria trocar de advogado. A Polícia Civil negou a acusação.

Vídeo. Macarrão e Bruno foram levados ontem da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, para o DI, para prestar depoimento. Mais uma vez, a orientação dos advogados foi a de que eles não respondessem a nenhuma pergunta. Segundo a defesa, Bruno só respondeu sobre as imagens que teriam sido feitas na viagem de avião até Belo Horizonte ? e foram divulgadas pelo Fantástico, da TV Globo.

Quaresma afirmou que as imagens não serão consideradas como prova "porque foram obtidas de forma ilegal". O advogado disse também que as informações divulgadas já eram conhecidas. "Os agentes serão identificados e a polícia vai tomar providências." No vídeo, Bruno parece não saber que está sendo filmado. "Não sei o que deu na cabeça dele (Macarrão)." O atleta ainda diz que pretendia assumir a paternidade do bebê de Eliza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.