Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Mulher de 57 anos morre com suspeita de reação à vacina em Jaú

Paciente teve histórico de meningite quando criança e recebia acompanhamento médico; ela tomou a vacina no dia 18 de janeiro e, no dia seguinte, começou a passar mal

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

31 Janeiro 2018 | 07h59

SOROCABA - Uma mulher de 57 anos morreu no último domingo, 28, dez dias depois de ter tomado a vacina contra a febre amarela, em Jaú, interior de São Paulo. O caso é tratado como suspeita de reação à vacina. 

A paciente teve histórico de meningite quando criança e recebia acompanhamento médico. O óbito suspeito foi registrado pela Santa Casa de Jaú, onde a paciente permanecia internada. Ela tomou a vacina no dia 18 de janeiro e, no dia seguinte, começou a passar mal. O quadro evoluiu para febre alta e inchaço no coração.     

Na segunda-feira, 29, o hospital registrou um boletim de ocorrência fazendo menção à morte suspeita por reação à vacina e transferiu o corpo para o laboratório de Patologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu, para investigação da causa da morte. As amostras ainda passam por análise. Órgãos da Secretaria da Saúde do Estado foram notificados. 

+++ Nova vacina contra febre amarela está em análise na Fiocruz

Até esta terça-feira, 30, foram registradas três mortes causadas por reação à vacina no Estado de São Paulo. Outros seis casos ainda estão em análise, conforme o boletim epidemiológico mais recente.    

+++ Paraguai exige vacinação contra febre amarela para 4 Estados brasileiros

NOVO CASO - Em Jarinu, a Secretaria de Saúde do município confirmou o segundo caso de febre amarela em humanos na cidade. A vítima, um homem de 42 anos, mora na zona rural e chegou a ficar internada no Hospital São Vicente, em Jundiaí, mas recebeu alta. Nesta terça-feira, 30, após a confirmação da doença, equipes da prefeitura tentavam localizar o paciente para as medidas de bloqueio à doença. Em seu cadastro na rede pública de saúde, consta que o homem reside no bairro Soares, o mesmo onde foi constatada a morte de uma mulher de 54 anos por febre amarela, no início deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.