Mulher de 27 anos é solta de cativeiro na zona sul de SP

Sobrinha dos donos e funcionária de uma fábrica de doces foi seqüestrada na manhã da última terça

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

16 de maio de 2008 | 02h58

Uma mulher de 27 anos, funcionária de uma fábrica de doces da família, foi libertada, por volta das 19 horas de quinta-feira, 15, do cativeiro em uma casa na Rua Semambitiba, na Vila Império, região de Cidade Ademar, zona sul da capital paulista. Ela havia sido seqüestrada na manhã da última terça-feira. No momento em que agentes do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (GARRA), da Polícia Civil, chegaram ao cativeiro, após uma denúncia anônima, a refém estava escondida atrás de um guarda-roupas e com os pés amarrados. Não havia mais ninguém no imóvel. Segundo a polícia, um casal, supostamente dono da residência, sempre acompanhado dos filhos, era quem tomava conta da vítima. Um dos vizinhos da casa usada como cativeiro foi detido e encaminhado à Delegacia Anti-Seqüestro (DAS) para prestar esclarecimentos e tentar ajudar a polícia a solucionar o caso. Seqüestro A industriária foi rendida na manhã da última terça-feira na esquina da Rua Sassaki com a Avenida Cupecê, a caminho da fábrica, na mesma região onde foi montado o cativeiro. Os bandidos, não se sabe quantos ainda, dominaram a mulher e a colocaram num veículo. Os criminosos haviam feito apenas um contato com os parentes da vítima, dos quais exigiram 1 milhão de reais para liberar a mulher.

Tudo o que sabemos sobre:
seqüestroSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.