Mulher confessa ser mãe de bebê que fingiu ter encontrado em lixeira

Ela será indiciada por falsa comunicação de crime; criança está internada, mas passa bem

João Paulo Carvalho , estadão.com.br

28 Julho 2011 | 12h16

SÃO PAULO - A mulher que disse ter encontrado um recém-nascido na lixeira de sua casa na madrugada de quarta-feira, em Botucatu, no interior de São Paulo, é na verdade a mãe da criança. Jocelene Veloso Schott, de 33 anos, afirmou que encontrou o bebê enrolado em um lençol branco por volta da 1h. Ela chamou a PM para entregar o próprio a criança.

 

O bebê, ainda com o cordão umbilical, foi levado para o pronto-socorro municipal e depois internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal do Hospital das Clínicas. Segundo informações do hospital, seu quadro de saúde é estável.

 

Investigadores da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) receberam a informação de que Jocelene estaria grávida. Localizada, ela foi chamada para prestar depoimento e confessou que era a mãe do bebê.

 

Segundo Edir Luis Innocenti, investigador do DIG, a mãe não abandonou o bebê, e por isso não foi indiciada por crime de abandono de incapaz. Jocelene foi indicada por falsa comunicação de crime, previsto no artigo 340 do Código Penal, cuja pena é de um a seis meses de detenção ou multa.

 

Adoção. O Conselho Tutelar de Botucatu, no interior de São Paulo, espera que o recém-nascido deixado seja adotado ainda no hospital.

 

Segundo informações do Conselho Tutelar, o caso agora está nas mãos do Serviço Social do Fórum de Botucatu, ligado à Vara da Infância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.