Mulher atingida na cabeça por arpão submarino passa bem após cirurgia

Atingida na cabeça por um arpão de caça submarina, Elisangela Borborema Rosa, de 28 anos, passa bem após ser submetida a uma cirurgia. O equipamento entrou pela mandíbula da mulher e a ponta ficou alojada na coluna cervical. O acidente foi na segunda-feira em Arraial do Cabo, no Rio.

O Estado de S.Paulo

10 Maio 2013 | 02h07

"A ponta do arpão penetrou a região entre o canal anterior vertebral e o canal da medula. Se atingisse apenas um centímetro para dentro, ela ficaria tetraplégica; se atingisse um centímetro para fora, alcançaria uma artéria que irriga o cérebro e ela morreria", disse o neurocirurgião Allan da Costa.

O arpão era manuseado pelo marido de Elisangela e foi acionado acidentalmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.