Muitos locais já integram os roteiros turísticos

SOROCABA

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2011 | 00h00

Muitas das fazendas antigas do interior transformaram-se em polos turísticos. Treze delas, datadas dos séculos 18 e 19, formaram a Associação Fazendas Históricas Paulistas e oferecem roteiros para turistas que incluem, além da boa mesa e hospedagem confortável, trilhas, cavalgadas e observação de aves. É possível fazer um roteiro, visitando várias propriedades, ou programar eventos, usando como palco instalações centenárias. As visitas devem ser agendadas.

A Capoava, em Itu, e a Pinhal, em São Carlos, foram transformadas em requintados hotéis-fazenda, mas mantêm inalterada a arquitetura do período imperial. Ambas fazem parte da Associação de Hotéis Roteiros de Charme. O mobiliário de época, em salões suntuosos, é atração na Vila Rica, de Itatiba. A Santa Gertrudes, no município do mesmo nome, foi usada como cenário de novelas. A Quilombo, em Limeira, preserva um casarão de 1880. O maior cafezal do início do século passado, com 1 milhão de cafeeiros, estava na fazenda Santa Cecília, em Cajuru.

Oferecem cavalgadas de longa distância ou sob a luz da lua cheia as fazendas Bela Vista, em Dourados, e Chácara Rosário, em Itu - esta com uma casa bandeirista de 250 anos. O passeio inclui refeições à moda tropeira e pode terminar em sarau ou seresta. Na Santa Maria, em Campinas, pode-se desfrutar da produção orgânica. A Mandaguahy, de Jaú, tem sede de 1858 e programas educativos para escolas. A Santa Maria do Monjolinho, de São Carlos, mantém o "sobrado grande" original, ornado com afrescos e pinturas. É possível observar a rica fauna do interior nas trilhas da Fazenda Nova, em Mococa. E a Aurora, em Santa Cruz dos Pinhais, foi pioneira na criação do gado da raça caracu no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.