Divulgação
Divulgação

'Muitos estão com ferimentos graves', diz PM sobre vítimas de bondinho

Veículo turístico de Campos do Jordão descarrilou na Serra da Mantiqueira com 44 pessoas a bordo

Sandro Villar , especial para o Estadão

04 de novembro de 2012 | 12h59

Atualizado às 17h15

Três mulheres morreram no acidente com o bonde turístico de Campos do Jordão, que descarrilou no começo da noite de sábado, 3, com 44 pessoas a bordo, incluindo o condutor. A terceira vítima é a paulistana Adriana Kelm Vockt Carvalho de Araújo, de 35 anos.

Mesmo imóvel no bonde após o acidente, ela teria telefonado ao 190 com o celular, segundo a 2ª Companhia da Polícia Militar de Pindamonhangaba. Grávida de sete meses, Adriana foi encontrada em estado de coma pela equipe de resgate e levada ao Hospital Regional de Taubaté, onde faleceu por volta das 5 horas. O bebê não pôde ser salvo, segundo a assessoria de imprensa do hospital.

Além da turista de São Paulo, as outras duas mulheres que perderam a vida no local do descarrilamento, na noite de sábado, são Sônia Maria de Oliveira Neves, de 47 anos, e Marly Guido Pereira Froelich, de 65. Sônia era guia de turismo em Pindamonhangaba. Já Marly morava em São José dos Campos, e sua família não quis falar sobre possível ação de indenização. "Não temos cabeça para pensar nisso", disse uma filha.

Além das três vítimas fatais, os outros 40 turistas, incluindo crianças e o maquinista Luciano Pereira Silva, de 40 anos, ficaram feridos. Eles foram levados para o Hospital Regional de Taubaté, Santa Casa de Pindamonhangaba e Pronto-Socorro de Campos do Jordão. Ainda não foi divulgado um balanço dos feridos graves.

"Tem muita gente internada com ferimentos graves, gente que fraturou braços e pernas", resumiu ao Estado uma policial militar de Pindamonhangaba, que pediu anonimato. Chovia na Serra da Mantiqueira quando o bonde descarrilou, à beira da linha, no município de Santo Antônio do Pinhal. O bonde transporta turistas entre Campos do Jordão e Pindamonhangaba.

Testemunhas deverão ser ouvidas na semana que vem. A Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ), que opera o bonde e vai investigar o acidente, dará assistência às vítimas e suas famílias. Peritos da Polícia Civil estiveram no local do descarrilamento, às margens da Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123). O 1º Distrito Policial de Pindamonhangaba abriu inquérito, informando que as investigações começam amanhã. O laudo será concluído em 30 dias. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.