Mudança na gestão de Recursos Hídricos indica que multa vem em 2015

Mudança na gestão de Recursos Hídricos indica que multa vem em 2015

Impopular, a medida chegou a ser anunciada pelo titular da pasta, Mauro Arce, mas foi descartada pelo governo durante a eleição

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

12 Dezembro 2014 | 03h00

O anúncio do engenheiro Benedito Braga no comando da Secretaria de Recursos Hídricos indica que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu tirar do papel em 2015 a proposta de multa para os consumidores que continuarem gastando mais água hoje do que antes da crise, apesar do agravamento da seca. Foram 24% em novembro. Impopular, a medida chegou a ser anunciada pelo titular da pasta, Mauro Arce, mas foi descartada pelo governo durante a eleição.

Professor da USP e presidente do Conselho Mundial da Água, Braga sempre defendeu publicamente o controle da demanda por meio de taxas progressivas para quem consome mais em vez de restringir a oferta, ou seja, adotar o racionamento. “Só apertando no bolso é que as pessoas vão dar mais valor à água”, disse em abril. O problema é que entidades de defesa do consumidor afirmam que a legislação condiciona a multa à decretação de rodízio oficial, interpretação que o governo contesta.

Respeitado mundialmente, Braga é a pessoa mais indicada para legitimar a mudança de curso protelada até o momento. Mudança, contudo, limitada, segundo ambientalistas que acompanharam suas declarações ontem. Ao dizer que não pretende “inventar nada”, mas aplicar o que já está planejado, ele sinaliza com novas obras bilionárias para buscar água cada vez mais longe. Com ele, a campanha de economia de água da Sabesp deve ser intensificada e a relação com a Agência Nacional de Águas (ANA) tende a melhorar. 

Já Mauro Arce deve voltar ao setor energético, continuando com papel fundamental na engenharia da transposição de água da Bacia do Rio Paraíba do Sul, usado para abastecimento e geração de energia, para o Cantareira. A obra mais urgente do novo mandato. 

FABIO LEITE É REPÓRTER DO 'ESTADO'

Mais conteúdo sobre:
Crise da água Benedito Braga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.