MTST
MTST

MTST protesta contra prisão de militantes durante greve geral

Cerca de 50 pessoas fazem ato em frente à delegacia na zona leste onde três integrantes do movimento estão detidos desde a sexta-feira

Bibiana Borba, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2017 | 09h12

SÃO PAULO - Um grupo de cerca de 50 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) protesta na manhã desta terça-feira, 2, em frente ao 63º Distrito Policial (DP), na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo. No local, estão presos três militantes do movimento que participaram de manifestações durante a greve geral convocada por centrais sindicais, na última sexta-feira, 28.

Os presos são o pedreiro Luciano Antônio Firmino, de 41 anos, o motorista Ricardo Santos, de 35, e o frentista Juraci Santos, de 57, que participaram de um dos primeiros das dezenas de protestos com queima de pneus na sexta-feira. Eles foram indiciados pela Polícia Civil por tentativa de incêndio, explosão e incitação ao crime. 

No sábado, a juíza Marcela Filus Coelho converteu as prisões em flagrante em preventivas, sob o argumento de defesa da ordem pública. O MTST afirma que eles são os únicos detidos durante as manifestações, em todo o País, que ainda permanecem na cadeia. Os advogados do grupo alegam motivos políticos para a prisão e encaminham pedido de habeas-corpus. 

Mais conteúdo sobre:
Vila Jacuí MTST São Paulo Polícia Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.