MPF denuncia médica por morte de universitária em cruzeiro em SP

Jovem de 20 anos teria tido um coma alcoólico a bordo de em navio, em 2008, mas médica teria diagnosticado como intoxicação; ela morreu asfixiada com o próprio vômito

Priscila Trindade, estadão.com.br

09 de setembro de 2010 | 19h13

SÃO PAULO - O Ministério Público Federal de São José dos Campos, no interior de São Paulo, denunciou a médica sérvia Jasna Tankosic pelo crime de homicídio culposo por causa de Isabella Baracat Negrato, de 20 anos. A estudante de direito morreu a bordo do navio MSC Ópera, entre Santos e Rio, no dia 19 de dezembro de 2008.

 

Para a procuradoria da República, o quadro de coma alcoólico da estudante não foi diagnosticado corretamente pela profissional, que atendeu a jovem como um simples caso de intoxicação e não adotou os procedimentos médicos corretos. Ela morreu asfixia após ingerir o próprio vômito. Isabella morreu sozinha dentro da cabine do navio.

 

Segundo a denúncia, o centro médico do navio MSC Ópera possuía todos os instrumentos e medicamentos necessários para os procedimentos que poderiam salvar Isabella. A denúncia foi oferecida no último dia 3 de setembro e está sob apreciação da 1ª Vara Federal de São José dos Campos.

 

Em nota, a MSC Cruzeiros informou que ainda não foi informada oficialmente sobre a denúncia, e disse que se pronunciará após ter conhecimento das informações.

 

Texto atualizado às 20h07.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.