MPF denuncia Law Kin Chong por importação ilegal de produtos

Pena pode chegar a 4 anos de prisão e denúncia foi feita a partir da blitz feita no Shopping Pari em novembro

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

18 de dezembro de 2007 | 08h27

O Ministério Público Federal denunciou novamente o empresário Law Kin Chong, dessa vez pelo crime de descaminho - pela importação ilegal de produtos - cuja pena é de 1 a 4 anos de prisão. A denúncia refere-se à prisão em flagrante do acusado, ocorrida em novembro deste ano, durante blitz da Prefeitura de São Paulo. No dia 14 de novembro, Law foi flagrado em uma blitz, quando foram apreendidos produtos importados ilegalmente. Os produtos estavam expostos no Shopping Pari, na zona norte de São Paulo. Segundo a denúncia do MPF, os produtos foram encontrados em oito boxes do shopping e em uma sala do 4º andar do prédio. Entre os produtos apreendidos estavam 1.834 relógios de pulso, das marcas Puma, Adidas, Casio e Chanel, microfones sem fio, bolsas femininas, 1.990 memory cards do videogame PlayStation 2, bonés, centenas de controles remotos e fones de ouvido, mouses e calculadoras. Na 2ª Vara Criminal de São Paulo, Law é acusado por lavagem de dinheiro originado pelo contrabando e cumpre prisão domiciliar em virtude de uma condenação pelo crime de corrupção ativa, no episódio em que ele e um advogado tentaram subornar o ex-deputado federal Luiz Antonio Medeiros. Além da denúncia, o MPF pediu que a Polícia Federal instaure um novo inquérito para aprofundar as investigações das acusações de lavagem de dinheiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Law Kin ChongMPFimportação ilegal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.