MP vai recorrer à absolvição de acusados de extorquir padre

Anderson Marcos Batista, Conceição Eletério, Evandro e Everson dos Santos Guimarães foram libertados na 3ª

Agência Estado,

11 de junho de 2008 | 19h59

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) vai recorrer à sentença judicial do Tribunal de Justiça do Estado, que absolveu na segunda-feira, 9, os quatro acusados de extorquir o padre Júlio Lancelotti. Em nota à imprensa, os promotores do caso, Fábio José Bueno e Luiz Antonio de Oliveira Nusdeo, disseram que existem "provas de que os acusados praticaram reiteradamente crime de extorsão" contra o religioso. Lancelotti é integrante da coordenação da Pastoral do Povo de Rua, da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Veja também:Justiça absolve acusados de extorquir padre JúlioAcusados de extorquir padre comemoram absolvição em bar Anderson Marcos Batista, Conceição Eletério, Evandro dos Santos Guimarães e Everson dos Santos Guimarães foram absolvidos, sem que a Justiça detalhasse o julgamento, alegando que o caso corre em segredo. Eles respondiam ainda por formação de quadrilha. A sentença foi proferida pelo juiz Júlio Caio Farto Salles, da 31.ª Vara Criminal da capital paulista. Em outubro de 2007, o padre denunciou os quatro acusados à polícia, alegando ter pago R$ 80 mil a eles. Entre as exigências do grupo, que ameaçava acusar o padre por exploração sexual, estariam o pagamento de entrada de R$ 30 mil e prestações de R$ 2 mil de uma Pajero.

Tudo o que sabemos sobre:
Padre Júlio Lancellotti

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.