MP-SP vai acompanhar inquérito de rodeio de Jaguariúna

Quatro pessoas morreram pisoteadas e outras 11 ficaram feridas após tumulto em corredor de acesso à arena

Tatiana Fávaro, de O Estado de S. Paulo,

25 Maio 2009 | 19h55

O Ministério Público Estadual de São Paulo vai acompanhar o inquérito policial instaurado pela Polícia Civil de Jaguariúna para apurar as causas da tragédia ocorrida na madrugada do último sábado, no complexo do Jaguariúna Rodeo Festival, na Região Metropolitana de Campinas. Quatro pessoas morreram pisoteadas e outras 11 ficaram feridas após tumulto em um corredor de acesso à arena do evento.

 

Veja também:

link Após 4 mortes, Justiça cancela shows de rodeio em Jaguariúna

link Rodeio de Jaguariúna negocia novas datas para shows

link Família de rapaz morto em rodeio estuda medida judicial

link Imagem de rodeio incrimina gangues

 

O caso está sendo acompanhado pelos promotores de Justiça de Jaguariúna, Kelli Giovanna Altieri Arantes e Leonardo Romano Soares. "Estamos colhendo informações, mas ainda não temos nada de concreto. Vamos ouvir as vítimas arroladas no inquérito policial", afirmou Soares.

 

Nesta segunda-feira, o delegado titular do município, Ruy Prado Marcondes, ouviu quatro vítimas. Segundo informações de policiais civis, ao menos duas delas informaram que na hora do tumulto os portões no local da tragédia permaneceram fechados. A assessoria da organização do evento disse, no fim da tarde desta segunda-feira, não ter informações sobre o fato.

 

No domingo, a organização do evento informou, por meio de assessoria, que imagens gravadas pelo circuito interno de câmeras de segurança indicariam a possibilidade de a confusão ter começado com uma briga. O delegado disse à imprensa que não tem informações sobre essa hipótese e que não teve acesso às imagens até o momento. Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública no fim de semana apontam outra possibilidade: a de a confusão ter começado quando um grupo de pessoas tentava entrar e outro, sair do show.

 

A Polícia Civil informou que o delegado ouvirá outras testemunhas nesta terça-feira e que primeiramente colherá o depoimento de vítimas, para depois ouvir os responsáveis pela segurança e organização do evento.

 

No sábado, 23, a Justiça atendeu pedido da Promotoria de Águas de Lindoia, para o cancelamento dos shows da dupla Victor e Léo e de Roberto Carlos, programados para as noites de sábado e domingo. Até as 19 horas desta segunda-feira, organizadores do evento e advogados estavam reunidos para definir a política de devolução do dinheiro para quem comprou os ingressos. A organização do rodeio informou, por meio de assessoria, que estuda a possibilidade de remarcação dos shows. Por meio do call center do evento, pelo telefone (19) 3867-7000, interessados foram informados que ainda não havia definição de como o ressarcimento será feito.

 

A polícia científica esteve no complexo localizado à margem da rodovia SP-340 na manhã de ontem, segundo informou a organização do evento, por meio de assessoria. O prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, representante de uma comissão formada por membros do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Corpo de Bombeiros, disse que está à disposição da polícia para colaborar como for necessário. O prefeito disse que a comissão também não teve acesso às imagens do circuito interno de câmeras de segurança, ao contrário do que disse o secretário de Comunicação, José Orlando Dutra Santos, na tarde do domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.