MP responsabiliza 5 funcionários do Butantan por incêndio de 2010

Para promotora, eles contribuíram de forma indireta para acidente que destruiu coleções do acervo

Marcela Gonsalves, estadão.com.br

30 de junho de 2011 | 19h43

SÃO PAULO - Cinco funcionários do Instituto Butantan foram responsabilizados pelo Ministério Público de São Paulo por contribuírem para o incêndio que atingiu o local em maio de 2010. Segundo a promotora criminal de Pinheiros, Eliana Passarelli, eles teriam sido imprudentes e negligentes, colaborando de forma indireta para o acidente.

 

A decisão foi encaminhada à Justiça nesta quinta-feira, 30. A polícia, após ouvir testemunhas e receber o laudo da Polícia Técnico Científica de São Paulo, havia decidido em março deste ano não indiciar ninguém pelo incêndio.

 

As chamas começaram entre 7h e 8h e só foram controladas por volta das 10h. Foram acionados 50 homens do Corpo de Bombeiros e 10 viaturas. Não houve feridos, mas boa parte da coleção de cobras do Butantan - um total de aproximadamente 77 mil exemplares, a maior amostra do mundo de animais da região tropical - foi perdida. Centenas de espécimes desses répteis que haviam sido coletadas pelos biólogos ainda não haviam sido descritas.

 

Entre os aracnídeos - em especial aranhas e escorpiões -, a perda foi de cerca de 450 mil espécimes, das quais milhares ainda não tinham sido analisadas pelos cientistas do instituto.

Tudo o que sabemos sobre:
Instituto Butantanincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.