MP quer revisão de multas aplicadas na Marginal do Tietê após reforma

Recomendação aos órgãos é que infrações decorrentes da falta de sinalização sejam anuladas

estadão.com.br

12 de julho de 2010 | 18h39

 

SÃO PAULO - O Ministério Público de São Paulo quer que as multas de trânsito aplicadas após inauguração das novas pistas da Marginal do Tietê, em março, sejam revistas, devido à falta de sinalização da via.

 

A recomendação - da promotora Maria Amélia Nardy Pereira, integrante da Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo - será enviada ao DSV (Departamento de Operação do Sistema Viário) e Detran. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ainda não se manifestou.

 

A falta de sinalização é alvo de um inquérito civil instaurado em maio de 2009 na Promotoria de Justiça e de Habilitação e Urbanismo da capital. Segundo a CET, a Marginal do Tietê foi a líder em acidentes fatais em 2009, com 50 das 1.382 mortes nas ruas e avenidas da cidade.

 

Na semana passada, o presidente da CET, Marcelo Cardinale Branco, firmou um compromisso com a promotora Maria Amélia para a instalação de placas indicativas de velocidade em trechos de obras na Marginal em 20 dias.

 

Já a licitação de iluminação da via poder ocorrer em 90 dias, mas a instalação dos 1,8 mil postes ainda não tem data prevista. A previsão do governo do Estado é que a obra fique pronta até o fim do ano.

 

Segundo o secretário estadual dos Transportes, Mauro Arce, o motivo do atraso na entrega da iluminação é a demora na escolha das luminárias e problemas na licitação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.