MP pede que Mizael Bispo volte a ter prisão decretada

Principal suspeito da morte da advogada Mércia obteve liminar que revogou sua prisão

Pedro da Rocha, Central de Notícias

17 de setembro de 2010 | 20h43

SÃO PAULO - O Ministério Público (MP) pediu nesta sexta-feira, 17, à Justiça a anulação da liminar que revogou a prisão do advogado Mizael Bispo de Souza e do vigia Evandro Bezerra da Silva. Mizael é acusado do assassinado de sua ex-namorada, a advogada Mércia Nakashima, e Evandro foi denunciado como ajudante do crime. O pedido será analisado pela 12ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

No parecer do MP, o procurador de Justiça Sérgio Neves Coelho argumenta que se medidas de repressão não forem tomadas, existe a possibilidade de o Brasil ser representado junto à Comissão Interamericana de Direitos por possível violação à Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher, definidas em convenção em Belém do Pará.

Existe também a possibilidade de o procurador-geral da República solicitar ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) o deslocamento do processo para a Justiça Federal, sob o argumento de que se trata de crime de violação de Direitos Humanos e a Justiça Estadual não tomou as devidas providências.

O corpo da advogada Mércia Nakashima foi encontrado dia 11 de junho na Represa Atibainha, em Nazaré Paulista. De acordo com a denúncia, Mizael matou Mércia porque não se conformava com o fim do relacionamento entre ambos. Ele teria sido ajudado pelo vigia Evandro Bezerra da Silva.

Mais conteúdo sobre:
Mércia NakashimaMizael Bispo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.