MP pede que Champinha seja internado em hospital psiquiátrico

Acusado da morte de Liana Friedenbach e Felipe Caffé deverá receber 'tratamento compatível' em local seguro

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

30 de novembro de 2007 | 13h56

A pedido do Ministério Público do Estado, a juíza Patrícia Padilha, da Vara Distrital de Embu-Guaçu, no interior de São Paulo, determinou na última quarta-feira, 28, a interdição de Roberto Aparecido Alves Cardoso, conhecido como "Champinha", um dos envolvidos na morte de Liana Friedenbach e Felipe Caffé, em Juquitiba, na Grande São Paulo, em 2003.   Segundo o Tribunal de Justiça, a magistrada, com base em vários laudos médicos, considerou Champinha incapaz e decretou a "interdição compulsória em estabelecimento psiquiátrico compatível e seguro face à debilidade do interditado."   A Secretaria Estadual de Saúde foi comunicada com urgência para providenciar vaga em estabelecimento psiquiátrico compatível com o tratamento necessário para o adolescente, com contenção e segurança apropriada.   Também foi encaminhado ofício à Fundação Casa (ex-Febem) para que ele "seja transferido apenas para o estabelecimento indicado pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, não podendo ser liberado sem que haja estabelecimento apropriado."

Tudo o que sabemos sobre:
ChampinhaJustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.