MP pede internação definitiva de jovens acusados de agressão na Av. Paulista

Três menores foram soltos no dia 23; juiz determinou liberdade assistida e serviços comunitários

Priscila Trindade, Central de Notícias

31 Dezembro 2010 | 15h16

SÃO PAULO - O Ministério Público entrou na quinta-feira, 30, com o pedido de internação definitiva de três dos quatro adolescentes suspeitos de agressão na região da Avenida Paulista, no centro de São Paulo, na manhã do dia 14 de novembro.

 

A decisão é das promotoras de Justiça que atuam na 1ª Vara da Infância e da Juventude da Capital, Ana Laura Bandeira Lins Lunardelli e Paula Pruks.

 

O trio estava internado na Fundação Casa (antiga Febem), no Brás, mas foram soltos no dia 23 de dezembro, após o juiz da 1.ª Vara da Infância e Juventude Egberto de Almeida Penido determinar que eles cumprissem liberdade assistida e prestassem serviços comunitários.

 

Os quatro menores e um maior de idade são suspeitos de agredir com socos, pontapés e lâmpadas fluorescentes três rapazes nas proximidades da Avenida Brigadeiro Luís Antonio. Duas vítimas disseram à polícia que teriam sido confundidas com homossexuais, o que teria motivado a agressão.

 

O recurso será apreciado pelo Juiz da 1ª Vara da Infância e da Juventude da Capital. Caso a sentença seja mantida, o recurso será apreciado e julgado pela Câmara Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Mais conteúdo sobre:
agressão na Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.