MP não descarta ouvir Kassab e Mauro Ricardo sobre fraude em SP

Promotor que investiga o caso afirma não haver indícios contra eles, mas diz que pode covocá-los, se necessário, para esclarecer denúnciais de servidor

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

08 Novembro 2013 | 15h14

SÃO PAULO - O promotor Roberto Bodini, que investiga a fraude na arrecadação do Imposto Sobre Serviços (ISS) na Prefeitura de São Paulo, disse na tarde desta sexta-feira, 8, que não descarta a possibilidade de convocar o ex-prefeito Gilberto kassab (PSD) e seu então secretário de Finanças, Mauro Ricardo Machado Costa. Ambos foram citados pelo auditor fiscal preso Ronilson Bezerra Rodrigues em grampos obtidos durante a investigação.

"Nesse momento não há nenhum indício contra o ex-prefeito e o ex-secretário, mas no decorrer das investigações, se necessário for, poderei ouvi-los", disse o promotor. Outra possibilidade é o Ministério Público (MP) interrogar o próprio Ronilson. No grampo divulgado nessa quinta-feira, 7, no Jornal Nacional, da TV Globo, o fiscal dizia que a investigação deveria chamar o ex-prefeito e o ex-secretário, pois eles tinham "ciência de tudo".

"Preciso perguntar para Ronilson o que ele quis dizer com 'ciência' e com 'tudo'", disse o promotor.

Prisão. Bodini disse que, por ora, não deve oferecer denúncia contra os três fiscais que ainda estão presos. Assim, ele não vai pedir a prisão preventiva dos fiscais, que devem ser liberados à 0h deste sábado, 9. O MP, no entanto, pedirá à Justiça a retenção dos passaportes dos investigados.

Mais conteúdo sobre:
fraudespiss

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.