MP julga processo do promotor acusado de matar estudante

Afastado de suas funções desde 2007, Thales Ferri terá pedido de revisão de ato julgado nesta segunda-feira

da Redação, estadao.com.br

28 de abril de 2008 | 14h53

O plenário do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) vai julgar nesta segunda-feira, 28, o pedido de revisão de ato do Conselho Superior do Ministério Público de São Paulo que concedeu vitaliciamento ao promotor Thales Ferri Schoedl, acusado de matar um jovem em Bertioga, litoral paulista, em 2004. O procedimento de controle administrativo está sob relatoria do conselheiro Francisco Ernando Uchoa.   No dia 3 de setembro de 2007, o CNMP determinou o afastamento cautelar de Thales Ferri do exercício de suas funções e a requisição dos autos do processo de vitaliciamento. A Terceira Sessão Extraordinária do CNMP é aberta ao público e também poderá ser acompanhada ao vivo pela internet.   Em 2004, Thales teria matado a tiros o estudante Diego Mendes Modanez, de 20 anos, e ferido Felipe Siqueira Cunha de Souza, também estudante, que na época tinha 20. Segundo o promotor, ele e namorada estavam saindo de uma festa na Riviera de São Lourenço, no Litoral de São Paulo, quando um grupo de mais de dez rapazes teria mexido com a moça.   Após um desentendimento entre Thales e o grupo, o promotor teria feito 12 disparos em Modanez e Souza. Thales alegou que agiu em legítima defesa.  

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Thales

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.