Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

MP denuncia motorista de Camaro que causou série de acidentes em São Paulo

Felipe Arenzon foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e três tentativas de homicídio

estadão.com.br,

29 de fevereiro de 2012 | 19h37

SÃO PAULO - O Ministério Público de São Paulo denunciou à Justiça o estudante Felipe de Lorena Infante Arenzon, de 19 anos, que provocou um acidente e causou a morte de Edson Roberto Domingues, 56, no dia 30 de setembro de 2011. A denúncia foi oferecida no último dia 17 e o órgão divulgou a informação nesta quarta-feira, 29.

Arenzon foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e três tentativas de homicídio por dirigir seu veículo Camaro 2SS em alta velocidade, provocando uma série de acidentes num percurso de cerca de 10 quilômetros entre as zonas oeste e norte da cidade. Ele estava embriagado e fugiu sem prestar socorro às vítimas. Felipe Arenzon deverá ser julgado pelo Tribunal do Júri.

De acordo com a denúncia oferecida pelo promotor de Justiça André Luís Bogado Cunha, do 2º Tribunal do Júri, Arenzon ficou até pouco depois das 6 da manhã na casa de shows Villa Country, na Água Branca, onde consumiu grande quantidade de bebidas alcoólicas. Ele saiu do local dirigindo seu automóvel Camaro em alta velocidade e na Avenida Sumaré, em Perdizes, atingiu a lateral de um carro e fugiu.

Mais adiante, na mesma avenida, ele bateu seu veículo na lateral esquerda de outro veículo e fugiu novamente do local. Ainda em alta velocidade, na Avenida Pompeia, o Camaro de Arenzon atingiu um terceiro veículo que estava estacionado. Mais uma vez o motorista não parou, até que na Avenida Inajar de Souza, na Freguesia do Ó, atingiu a traseira de um veículo que aguardava a abertura do semáforo. Com o impacto, o carro pegou fogo. Edson morreu após passar cinco dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas.

O Camaro ainda atingiu outro automóvel, provocando ferimento em seus três pessoas. Felipe Arenzon fugiu sem prestar socorro às vítimas e se escondeu em uma residência nas proximidades. Ele foi localizado após indicações de moradores do bairro. O estudante ficou preso no 72° Distrito Policial da Vila Penteado, mas foi liberado após sua família pagar a fiança de R$ 245 mil. O valor foi determinado com base no preço do Camaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.