MP decreta sigilo em investigação sobre assassinato na USP

Na noite desta quarta, 18, um aluno da FEA foi morto com um tiro na cabeça no estacionamento da universidade

Marcela Gonsalves, Central de Notícias

19 de maio de 2011 | 15h39

SÃO PAULO - A investigação sobre o assassinato do estudante da Universidade de São Paulo (USP) Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, está sob sigilo, por conta da determinação dada nesta quinta-feira, 19, pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), que apura o crime.

 

Veja também

linkMajor da PM diz que crime na USP foi uma 'fatalidade'

link Alckmin diz que PM está à disposição para reforçar segurança na USP

som 'Estadão ESPN': Diretor da FEA defende PM na universidade

 

Por conta da determinação, a promotora Mildred Assis Gonzalez, representante do Ministério Público designada pela Procuradoria Geral de Justiça para acompanhar o trabalho da polícia no caso, está impedida de fornecer informações, segundo o Ministério Público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.