ALEX SILVA /ESTADAO
ALEX SILVA /ESTADAO

Mozart Ramos nega convite de Doria e Schneider deve assumir Educação

Alexandre Schneider ocupou cargo na gestão Kassab, entre 2006 e 2012

O Estado de S. Paulo

21 Novembro 2016 | 23h10

O educador Mozart Neves Ramos negou convite para a Secretaria da Educação em São Paulo. Isso por questões familiares e porque não poderia manter-se como diretor do Instituto Ayrton Senna. 

Com sua negativa, quem deve ser anunciado na quinta como secretário é o ex-titular da pasta, Alexandre Schneider, que ocupou o cargo na gestão Gilberto Kassab (PSD), entre 2006 e 2012. Em artigo no Estado, no dia 2, Schneider defendeu que a gestão Doria precisaria investir em convênios para ampliação de vagas em educação infantil e creches. “O que se faz necessário é uma revisão das regras, melhor fiscalização e, sobretudo, garantir melhores condições de operação às unidades da Prefeitura e às conveniadas. Por fim, a Prefeitura deve concentrar esforços na criação de vagas na periferia.”

O Estado não conseguiu contato nesta segunda-feira, 21, com Schneider. Outro cotado para a vaga é o vereador Eliseu Gabriel. Seu partido, o PSB, apoiou Doria e deve ter participação no secretariado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.