Movimento transforma ruas e lojas do entorno

As obras do Sesc Belenzinho demoraram quase cinco anos para terminar, mas valeram a pena. E não são só os frequentadores que dizem isso - comerciantes vizinhos também viram seus lucros saltarem.

, O Estado de S.Paulo

19 Fevereiro 2011 | 00h00

A barista Fátima Ghonaim, de 38 anos, é dona de uma cafeteria bem ao lado do Sesc. No fim do ano passado, pensava até em fechar o local. Depois do Sesc, o movimento mais que triplicou. "Melhorou muito. Eu não tinha público que passava na rua e entrava. Agora eu não paro."

Lorimar Magalhães, de 40 anos, viu o movimento do seu estacionamento praticamente dobrar. "Aumentou em mais de mil carros nos fins de semana. Tomara que continue assim depois do verão", diz ele, que já aumentou o preço em R$ 1.

A movimentação também trouxe problemas. A Rua Padre Adelino está apinhada de flanelinhas e pelo menos três ambulantes ocupavam as calçadas na semana passada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.