Movimento nos bicicletários do Metrô cresceu 150%

A possibilidade de se instalar uma rede de empréstimo de bicicletas na capital vem em bom momento. Não existem números atualizados de ciclistas na cidade, mas fontes de dados secundários mostram que a bicicleta está sendo cada vez mais usada em São Paulo. O balanço dos bicicletários públicos no Metrô, administrados pelo Instituto Parada Vital, é um deles.

/ D.Z. e R.B., O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2012 | 03h07

Entre 2010 e 2011, o número de bicicletas estacionadas subiu 150% e o de empréstimos, 55%. "Essa estatística confirma o crescimento no uso de bicicletas em São Paulo, que é visível pelas ruas da cidade. Não é mais aquela história do porteiro que vai de bicicleta para economizar, mas mostra uma população que está mudando seu comportamento", afirma Ismael Caetano, presidente do instituto.

Entre os 19 bicicletários do Parada Vital, os mais procurados estão no centro: nas Estações Anhangabaú e Santa Cecília. Já entre os da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o maior uso se dá nas Linhas 11 e 12. Ambas ficam na zona leste, longe do maior investimento feito pela companhia em bicicletas: a ciclovia da Marginal do Pinheiros, usada majoritariamente nos fins de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.