Movimento de carros cresce e trava ruas de São Sebastião

Principais vias da cidade ficam paradas por causa da fila da balsa para Ilhabela e lembram trânsito da capital

SÃO SEBASTIÃO, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2012 | 03h08

O aumento no movimento de turistas nos fins de semana no litoral norte, percebido desde o feriado da Independência, mês passado, já dá pistas de como será o trânsito nas cidades da região neste verão. As prefeituras de Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba preveem a chegada de até 2 milhões de turistas - mesmo número registrado no verão passado.

Em São Sebastião a situação deverá ser mais complexa, uma vez que a Rodovia SP-55 (a Rio-Santos) atravessa o centro, passando por shoppings, agências bancárias, padarias e escolas. A via recebe todo o fluxo de veículos com destino a Ilhabela.

Os visitantes amargam filas quilométricas nas ruas da região central de São Sebastião. A confusão provoca uma série de queixas de moradores, que ficam incomodados com o barulho dos motores, som alto e algazarra durante as madrugadas. Além do fluxo local e dos veículos de turistas, centenas de carretas com direção ao porto local também "rasgam" o centro da cidade.

O resultado, nos horários de pico, é o trânsito totalmente parado, que lembra as vias congestionadas da capital. As ruas transversais à avenida já vêm formando filas, por causa dos semáforos. Ao longo do ano, várias rotatórias foram colocadas para acesso aos bairros, o que prejudicou ainda mais o fluxo.

"Por causa das rotatórias, a via deixa de ser dupla em alguns trechos, o que afunila o trânsito e trava tudo, formando longas filas", reclama a empresária Marilda Gomes Senevitti, de 43 anos, que diz ter saído de São Paulo para morar no litoral justamente para fugir do trânsito. "Agora temos hora do rush, algo impensável há alguns anos. Me sinto na Avenida Paulista, mas lá o fluxo anda", compara.

"Esse trânsito vai piorar na temporada, pois a cidade recebe três vezes mais gente do que a população. Será o caos", diz o representante comercial Leonardo Santana de Almeida, de 31 anos. São Sebastião tem 74 mil habitantes. / R.P., ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.