Movimento de caminhões no Rodoanel aumenta, diz secretaria

Circulação já é maior do que em outras rodovias, como a Raposo Tavares e a Anhanguera

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

01 de junho de 2010 | 08h48

Na foto, Rodovia completamente parada por conta de um acidente envolvendo um caminhão

 

SÃO PAULO - Um levantamento da Secretaria Estadual de Transportes de São Paulo confirma que o movimento de caminhões no Rodoanel está maior em comparação à circulação nas Rodovias Anchieta e Anhanguera, chegando a 40% do total de quase três milhões de veículos trafegando em dias úteis. O balanço foi feito nos dois meses de funcionamento do Trecho Sul do Rodoanel.

 

Desde a abertura ao tráfego, em 1 de abril deste ano, já circularam pelos 61,4 quilômetros do Trecho Sul do Rodoanel quase três milhões de veículos sendo, em média, 65% leves e 35% pesados. O porcentual de veículos pesados, se for considerado apenas os dias úteis, chega a 40%, segundo a Secretaria.

 

De acordo com o balanço, esse movimento de caminhão já ultrapassa o da circulação em outras rodovias, como o trecho entre São Paulo e Cordeirópolis (163 quilômetros) da Rodovia Anhanguera, onde 31% do tráfego são de caminhões e ônibus, e toda a extensão da Anchieta, onde 25,7% do tráfego são de veículos pesados.

 

A circulação de caminhões no Rodoanel está à frente também da movimentação na Raposo Tavares, de Araçoiaba da Serra a Itapetininga (51 quilômetros), onde 34,3% do tráfego são de veículos pesados, ou a Castello Branco, no trecho entre Itu e Tatuí (65 quilômetros), com 30,7%.

 

Por conta da nova opção dos caminhoneiros, o tráfego na capital paulista melhorou. Levantamento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) constatou, em abril, um aumento da fluidez do trânsito de 42% na avenida dos Bandeirantes em relação à março e de 34% na marginal do Rio Pinheiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.