Movimento causado pelos fiéis divide opiniões

A grandiosidade do projeto mexe com a rotina do Brás antes do início das obras. Moradores e comerciantes no entorno do quadrilátero onde estão localizadas as Igrejas evangélicas e católica têm opiniões divididas sobre o movimento causado pelos fiéis.

Eduardo Reina, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2010 | 00h00

Francisco Macedo, de uma lanchonete na Avenida Celso Garcia, disse que desde que os templos começaram a funcionar, o local ganhou mais vida e o comércio voltou a se firmar. "Antes estava meio desleixado aqui. Abria um comércio e logo fechava. A rua era escura. Depois foi melhorando. Achei bom", afirmou.

Já Amélia Zuarte, moradora da Rua João Boemer, reclama. "Isso aqui enche de carro, de ônibus. Domingo é o dia inteiro. E aparecem ambulantes de tudo quanto é lado. O resultado é sujeira na calçada e mau cheiro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.