Motos serão fiscalizadas pelo nº final da placa

Plano do governo é começar a multar aos poucos quem não se adaptar às novas regras

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

05 Março 2013 | 02h03

O governo do Estado vai começar a multar gradualmente, pelo número final das placas, os motoboys que não se adaptarem às novas regras do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

"A ideia é incentivar para que essas pessoas façam gradativamente (a adaptação) e depois tenham um limite de transição, tendo placa final 1 e 2 em um mês, 3 e 4 no outro e assim por diante. Em três ou quatro meses, a gente pode concluir", disse o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional de São Paulo, Julio Semeghini.

Nos próximos dias, o governador deve definir os incentivos que serão dados para os motoboys que começarem a se adaptar. Uma das ideias é isentá-los de taxas. "Grande parte desses motofretistas estão tendo de renovar sua licença. Ao ser regulamentado, ele muda de categoria. Então, coitado do cara que acabou de renovar a carteira, vai ter de pagar tudo de novo. É um dinheiro que entra para o Estado e provavelmente o Estado possa abrir mão para estimular que eles façam isso de maneira mais rápida", afirmou Semeghini.

O prazo final para as multas deve ser definido nos próximos dias. Há possibilidade de que as penalidades só comecem a ser aplicadas no ano que vem.

Segundo o secretário, o Contran regulamentou as regras, mas não detalhou como isso seria implantado. "O que o governo está fazendo é tentar cumprir exatamente o que foi imposto."

Mudança. O governo chegou a anunciar o início da multa para 2 de fevereiro, mas voltou atrás após protestos da categoria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.