Motoristas se perdem na Marginal

Motoristas se perdem na Marginal

Falta de sinalização e placas confusas levam pessoas a errar acesso de ponte ou entrar sem querer na Anhanguera ou na Bandeirantes

Lais Cattassini, O Estadao de S.Paulo

31 Março 2010 | 00h00

A sinalização precária na Marginal do Tietê está provocando problemas aos motoristas. Sem orientação, as pessoas que trafegam nos trechos novos perdem a entrada de pontes e acabam entrando na Rodovia Anhanguera ou ainda na Bandeirantes.

Na Anhanguera, sentido Jaraguá, o retorno à Marginal só pode ser feito no km 18 e a sinalização da estrada, que também está em obras, é igualmente confusa. No sábado, o enfermeiro Marcelo Penteado, de 34 anos, acabou entrando na rodovia por descuido e, ao tentar retornar, acessou uma estrada de terra. Seu carro ficou atolado e ele precisou da ajuda de um trator para retirar o veículo do local.

Morador de Guarulhos, Penteado resolveu usar a nova pista da Marginal para visitar a mãe, que mora no Butantã, zona oeste da capital. "Era noite e estava escuro, acabei caindo na Anhanguera e não achava o retorno", contou o enfermeiro.

O engano teve uma consequência ainda pior quando, ao ver uma placa escrita "Marginal", na altura do km 18 da Anhanguera, Penteado achou que tinha encontrado o caminho. "Em todo o tempo que andei pela Anhanguera, não encontrei placa nenhuma informando sobre o retorno. Achei que era lá", afirmou.

Levado a uma estrada de terra sem saída, Penteado caiu em um buraco. O carro só foi tirado do local na segunda-feira. "Nos dois dias que fiquei lá para tirar o carro, vi que muita gente se engana e entra naquela estrada", disse ele.

Pontuada por placas provisórias de cor laranja, a Marginal informa aos motoristas os últimos acessos para pontes e rodovias, mas pouco antes da entrada e sempre no canto direito. Os motoristas acostumados com os acessos anteriores à obra não conseguem entrar nos novos trechos a tempo.

Para o especialista em trânsito e ex-secretário municipal de Transportes Getúlio Hanashiro, a sinalização ainda precária gera desconfortos aos motoristas. "O que acontece é que, sem placas para orientação, os motoristas perdem acessos às pontes e precisam trafegar por um percurso maior até que consigam retornar."

Segundo ele, em razão do grande volume de carros que passam pela Marginal todos os dias, a obra precisou ser feita aos poucos. "À medida que os trechos vão ficando prontos, a via é liberada e a sinalização acaba ficando para uma última etapa", observou.

No escuro. A falta de sinalização não é o único problema da nova pista da Marginal ou das obras realizadas para a melhoria do trânsito na região, como o Complexo Anhanguera. Sem iluminação, as vias deixam os motoristas confusos.

Dersa. A Dersa, responsável pelas obras na Marginal, foi questionada sobre a data da sinalização e o número de placas que serão colocadas na via. A reportagem também perguntou sobre a falta de iluminação nos novos trechos da Marginal, que foi entregue no sábado.

Até as 20 horas, não houve resposta por parte da Assessoria de Imprensa da empresa.

A obra custou R$ 1,3 bilhão e foi entregue dez meses após o início dos trabalhos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.