Motoristas que pagam tarifa cheia aguardam benefício

Moradores de cidades pequenas que precisam ir a municípios vizinhos com frequência querem a ampliação do sistema

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

18 Agosto 2014 | 02h02

SOROCABA - O consultor imobiliário Jefferson Proença, de Pereiras, no interior de São Paulo, percorre diariamente 15 quilômetros, entre ida e volta, para utilizar os serviços do cartório de registro de imóveis de Conchas e paga R$ 10,40 no pedágio do km 192 da Rodovia Marechal Rondon. Ele e outros 7 mil moradores também se deslocam para a cidade vizinha quando precisam ir ao hospital ou ao fórum.

Quando o Ponto a Ponto foi lançado pelo governo estadual, em 2012, usuários que pagavam a tarifa cheia para usar trechos curtos de rodovia com pedágios ficaram na expectativa de arcar apenas com os quilômetros percorridos. Após mais de dois anos, os trechos com Ponto a Ponto são os mesmos inaugurados pelo governador Geraldo Alckmin nas Rodovias Santos Dumont (SP-075), Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360) e Adhemar de Barros (SP-340).

Em 2013, em Pereiras, moradores bloquearam a rodovia para exigir tratamento igual ao dos moradores de Boituva, que passam sem pagar pelo pedágio de bloqueio do km 110,8 da Rodovia Castelo Branco. Usuários da Rodovia Raposo Tavares que moram em Araçoiaba da Serra também cobram isenção para o trecho de oito quilômetros até Sorocaba, da qual dependem para a maioria dos serviços - o pedágio fica entre as duas cidades. Em Alumínio, os moradores reclamam de pagar pedágio para ir de um bairro a outro na própria cidade - o pedágio, com tarifa de R$ 7, fica em área urbana.

Benefício. Em Boituva, veículos emplacados na cidade estão isentos da tarifa de R$ 7,90. "É justo, pois não há outra saída da cidade a não ser pela Rodovia Castelo Branco", disse o comerciante Tércio Souza Peres.

Na SP-075, o sistema vale para moradores de Indaiatuba e o pagamento por quilômetro percorrido só atinge 4.163 usuários. O representante Ricardo Peniel, que vai com frequência para Campinas, não se cadastrou. "Se usar o Ponto a Ponto, perco o desconto no pedágio de bloqueio do km 60", explica.

A Rodovia Adhemar de Barros (SP-340), que liga Campinas a Mococa, teve o Ponto a Ponto instalado para atender moradores de Jaguariúna e foi a primeira a abrir o sistema para todos os usuários, independentemente do local de moradia. Segundo a Artesp, 59.882 motoristas se cadastraram. Pela estrada, no trecho de Jaguariúna, passam 21 mil veículos por dia.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Pedágio Estradas Rodovias

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.