Motoristas e cobradores protestam em frente à Prefeitura de SP

Tribunal Regional do Trabalho propõe reajuste de 7% à classe, além de PLR no valores de R$ 400 e R$ 250

Elvis Pereira, estadao.com.br

13 de maio de 2008 | 15h52

Cerca de 230 motoristas e cobradores de ônibus iniciaram na tarde desta terça-feira, 13, um protesto em frente à sede da Prefeitura, no centro da capital paulista. O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo informou que o objetivo da manifestação é pedir o apoio da Prefeitura para que a lista de reivindicações da categoria seja atendida.    Veja também:TRT-SP propõe reajuste de 7% para motoristas de ônibus No final da tarde, já eram cerca de 700 pessoas que participavam da manifestação. Entre os pedidos constam a reposição de perdas salariais, o pagamento de participação por lucros e resultados e melhoria da qualidade do plano de saúde e dos produtos das cestas básicas.  Os manifestantes começaram a chegar ao local por volta das 14h30 e ocuparam todo o Viaduto do Chá, que ficou totalmente bloqueado até as 15h54. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) organizou um desvio pela Rua Líbero Badaró, Largo São Francisco, Ruas Oswaldo Cruz e Riachuelo e Avenida 23 de Maio, que continua montado mesmo com desinterdição de parte da pista. Segundo a CET, o fechamento do viaduto prejudicou o trânsito na região por volta das 15h30, mas no final da tarde, o tráfego já era normal. A Polícia Militar afirmou que o protesto era pacífico.  Atualizado às 18h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.