Motoristas e cobradores prometem greve de ônibus em SP no próximo dia 13

Mais de 6 milhões de pessoas devem ser prejudicadas pela paralisação de motoristas e cobradores

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

07 de fevereiro de 2012 | 03h46

SÃO PAULO - Toda a capital paulista pode amanhecer sem as linhas de ônibus de transporte público na próxima segunda-feira, 13. Motoristas e cobradores, na tarde de segunda-feira, 6, em reunião resolveram paralisar as 32 garagens da cidade a partir da 0h do dia 13.

 

A categoria protesta contra os critérios utilizados pela São Paulo Transportes (SPTrans) na aplicação das multas e nos valores delas de acordo com o chamado Regulamento de Sanções e Multas (Resam). Os motoristas e cobradores afirmam que as empresas, ao repassarem ao holerite os altos valores das multas, comprometem os salários dos funcionários. Segundo o sindicato, a Prefeitura aplica cerca de 400 multas diárias nas empresas de ônibus.

 

Em nota, o sindicato afirma que "desde 2009 a diretoria tenta em vão negociar com os representantes da Prefeitura e da SPtrans uma solução definitiva para a questão de duplicidade de multas que constam no Código de Trânsito Brasileiro e no Resam, que são aplicadas indiscriminadamente pelos agentes da SPTrans". O sindicato ainda afirma que o objetivo da categoria "não é isentar as empresas das responsabilidades contratuais".

 

Mais de 6,1 milhões de pessoas utilizam ônibus diariamente na capital paulista. Na última paralisação, ocorrida entre as 3h e 6h do dia 31 de janeiro, cerca de 2 milhões de usuários foram prejudicados. A grande maioria dos ônibus começou a circular somente a partir das 6h30.

A greve foi decidida na sede do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo, no centro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.