Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Motoristas de vans escolares fazem carreatas para cobrar Prefeitura

Trabalhadores contestam atraso de repasses e redução do número de alunos transportados nos veículos

Bibiana Borba, O Estado de S.Paulo

11 Julho 2017 | 07h12

SÃO PAULO - Condutores de vans escolares promovem carreatas em avenidas de São Paulo, na manhã desta terça-feira, 11, para cobrar pagamentos da Prefeitura. Dezenas de veículos partiram por volta das 6h30 da Radial Leste, na zona leste, e da Marginal do Pinheiros, na zona sul, em direção à Praça Charles Miller, em frente ao Estádio do Pacaembu, na região central. Eles transitam em velocidade reduzida, a cerca de 10km/h, provocando filas de trânsito lento.

Às 9 horas, os motoristas já se concentravam na praça e planejavam ir até a Prefeitura, no centro da capital. O objetivo é chamar a atenção nas ruas durante todo o dia. "Enquanto o prefeito João Doria (PSDB) e o secretário de Educação Alexandre Schneider não derem o respaldo de que precisamos e conversarem conosco, vamos protestar", disse Magaly Sarteschi, uma das representantes da categoria.

Os motoristas do Transporte Escolar Gratuito (TEG), mantido pelo poder municipal, cobram repasses atrasados e contestam cortes que reduziram o número de alunos transportados neste ano. Conforme nota divulgada pelos trabalhadores, as mudanças da gestão do prefeito João Doria vêm provocando a desistência de vários prestadores de serviços.

Os motoristas tiveram remunerações reduzidas, pois recebem conforme o número de crianças transportadas. Eles também afirmam que os pagamentos vêm sofrendo repetidos atrasos nos últimos meses. Segundo eles, a Secretaria de Educação depositou os salários da maioria dos funcionários, após um protesto realizado na semana passada, mas um grupo menor ainda segue sem a última remuneração.

Prefeitura. Em nota, a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo afirmou que os pagamentos já foram regularizados. Conforme a pasta, apenas alunos não cadastrados corretamente no sistema perderam o benefício nos últimos meses. Confira a íntegra do comunicado:

"Todos os alunos que têm direito ao transporte escolar estão sendo atendidos. Para que se efetue o pagamento do transporte escolar, é necessário que a criança esteja registrada no sistema de atendimento. Foram detectadas crianças transportadas não inscritas no sistema. As secretarias de transporte e educação iniciaram então uma auditoria, o que atrasou o pagamento, que já foi regularizado. Nenhuma criança inscrita no sistema da prefeitura foi retirada do transporte escolar. As Secretarias de Educação e Transporte se encontram abertas para esclarecer quaisquer dúvidas das cooperativas, empresas e pessoas físicas que prestam serviços de transporte escolar na cidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.