Motoristas de ônibus protestam e fazem paralisação no Jaçanã e Tremembé

SPTrans acionou plano de emergência enviando 125 ônibus para o local

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

23 de julho de 2010 | 06h00

SÃO PAULO - Moradores dos bairros localizados nas regiões do Jaçanã e Tremembé, na zona norte de São Paulo, terão uma manhã difícil nesta sexta-feira, 23, em razão de uma paralisação de motoristas e cobradores das empresas Transcooper e Transcooper Fénix que, juntas, possuem 538 coletivos (a maioria micro-ônibus) e operam 38 linhas.

Segundo a São Paulo Transportes (SPTrans), foi acionado o Plano de Auxílio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese), pelo qual 125 veículos da Viação Sambaíba, empresa concorrente, serão remanejados para as linhas paradas numa tentativa de amenizar o transtorno vivido por quem necessita de ônibus nessas regiões.

A paralisação, segundo a SPTrans, é um protesto da Transcooper contra a falta de segurança na região do Jaçanã, onde, por volta das 22h45 de quinta-feira, 22, o micro-ônibus prefixo 26390, que fazia a linha 1722/10 (Jardim Marina - Tucuruvi), foi parado e incendiado por um grupo de pessoas. Ninguém ficou ferido.

O ataque, promovido por supostos moradores - revoltados pela chacina, ocorrida à 1h30 de quinta-feira, onde quatro pessoas morreram e três sobreviveram - ocorreu na esquina da Rua Maria Amália Lopes de Azevedo com a Avenida Antonelo da Messina, no Jardim Guapira, próximo ao local dos assassinatos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.