Motoristas de ônibus iniciam paralisação em São Paulo

Mobilização deve durar até as 14 horas nas garagens das empresas; sindicato ameaça greve geral na terça-feira

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

07 de maio de 2008 | 11h35

A paralisação de motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo começou às 10h40 desta quarta-feira, 7, de acordo com a assessoria de imprensa da SPtrans, empresa que administra o transporte coletivo na capital paulista. A categoria interromperá suas atividades até as 14 horas para realizar assembléias nas garagens e avaliar as negociações salariais.   Veja também:   Acompanhe a situação do trânsito rua-a-rua    Acompanhe ao vivo pela Rádio Eldorado    A orientação do sindicato é para que os motoristas que ainda estiverem circulando encerrem a viagem e sigam vazios para as garagens. A assessoria da SPTrans ainda não tem um balanço por conta dessa interrupção, mas os terminais Varginha, Parelheiros e Santo Amaro, na zona sul, e Penha e São Miguel, na região leste da cidade, já estão sem os ônibus. Caso não seja atendido, o sindicato promete greve geral a partir da próxima terça-feira.   O Terminal Expresso Tiradentes, na região do Sacomã, no Ipiranga, zona sul paulistana, é o único que está efetivamente fechado neste momento em razão da paralisação, segundo a SPTrans. Conforme a assessoria, por enquanto está descartada a adoção do plano de emergência para os transportes na cidade. Isso porque a categoria assegurou que deverá retomar o serviço à tarde, após o término das assembléias.   Segundo o Sindmotoristas, no dia 20 de março foi protocolada a pauta de reivindicações no SP-Urbanuss, e até agora as negociações não avançaram. Os motoristas querem 5,54% (inflação do período pelo INPC/IBGE) mais 5% de aumento real, participação nos lucros e resultados e renovação das cláusulas sociais, de saúde e segurança do trabalho.   "As questões sociais estavam sendo tratadas tranqüilamente. Quando entramos na questão econômica, o patrão se retirou da mesa", afirmou o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de ônibus de São Paulo Jorge Isao Hosogi, o Jorginho.   O Secretário Municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, pediu aos motoristas que não parem de trabalhar. Ele divulgou nota em que diz confiar "na sensibilidade de ambos os sindicatos".   (com Marcela Spinosa, do Jornal da Tarde)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.