Motorista que transportava bolsas de sangue morre em colisão

Ambulância seguia pela Rodovia Ayrton Senna e bateu em alta velocidade na traseira de caminhão

Bruno Lupion, do estadão.com.br,

04 de agosto de 2010 | 02h50

Ambulância ficou atravessada na pista e foi atingida por terceiro carro

 

SÃO PAULO - O motorista de uma ambulância carregada com bolsas de sangue morreu na madrugada desta quarta-feira, 4, no sentido interior da Rodovia Ayrton Senna, km 23, região de Guarulhos, ao colidir em alta velocidade na traseira de um caminhão em movimento. Um terceiro veículo que vinha atrás atingiu a ambulância e capotou, mas seus dois ocupantes escaparam ilesos.

 

"Estava a 70 km/h quando senti o impacto e vi, pelo retrovisor, a ambulância rodando na pista", disse o motorista do caminhão, Luís Carlos Gonçalves, de 52 anos, que ia no sentido interior. A ambulância, pertencente ao Hospital Santa Marcelina de Itaquaquecetuba, ficou atravessada na pista e um Golf que vinha em seguida a atingiu em cheio. O veículo de passeio capotou e foi parar no canteiro central.

 

O motorista e o passageiro do Golf conseguiram sair do carro pelo para-brisa, que foi estraçalhado na batida. "Estava escuro e vimos de repente a ambulância atravessada na pista. Atingimos ela em cheio, não morremos por sorte", diz o comerciante Odair Oliveira, de 36 anos, que conduzia o carro. Milton Palmieri, motorista da ambulância, morreu na hora.

 

As bolsas de sangue foram recuperadas a tempo e encaminhadas ao Hospital Santa Marcelina. O acidente foi registrado no 4º Distrito Policial de Guarulhos.

 

Texto atualizado às 7h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.