Motorista que atropelou seis idosos em Jaú vai a Júri Popular

Dois dos idosos atropelados quando engenheira dirigia na contramão morreram; defesa da acusada vai recorrer

Jair Aceituno, especial para O Estado de S.Paulo

01 de outubro de 2008 | 17h40

A engenheira Walterez Regima Macacari, de 51 anos, será levada a júri popular. A decisão é do juiz Camilo Resegue Neto, da 1ª Vara Criminal, que acatou a denúncia do Ministério Público e pronunciou a motorista por quatro tentativas e dois homicídios dolosos. No dia 3 de abril do ano passado, trafegando na contramão com sua caminhoneta Mitsubishi, ela atropelou cinco idosos que saiam da missa, matando dois deles.   O promotor Celso Hélio Vanuzini classifica o crime como de dolo eventual porque, mesmo a ré não tendo a intenção de matar ou ferir as vítimas, ela assumiu o risco de produzir os danos quando, ao bater num veículo, tentou fugir do local e o fez na contramão.   O acidente ocorreu por volta das 17 horas, quando Walterez trafegava pela Rua Major Prado. Pouco antes de chegar ao cruzamento da Rua Riachuelo, ela bateu na traseira de um fusca que estacionava. Saiu à esquerda e, nesse momento, atropelou o grupo de idosos que saia da missa. Quatro deles ficaram feridos e dois morreram. As vítimas fatais são Valdete Ometto Ciamariconi, de 65 anos, e Adelmo Pataro, de 77, que chegou a ser socorrido mas não resistiu aos ferimentos.   A motorista pagou fiança de R$ 4,5 mil e com isso ganhou o direito de responder o processo em liberdade. No seu interrogatório à justiça, alegou ter entrado em estado de choque após bater no fusca e não lembrar-se do que ocorreu em seguida. Seu advogado disse que vai recorrer da decisão de submetê-la a júri.

Tudo o que sabemos sobre:
acidenteJustiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.