Motorista passa horas de angústia

O motorista Marco Antônio Caternol, de 31 anos, se considerava um homem de sorte. Há pouco tempo, ele assumiu uma linha de ônibus que passa na entrada do Morro do Bumba, onde morava com a mulher Sabrina e os filhos Cauã, de 11 meses, e Caíque, de 6 anos. "Passei pela entrada do morro e buzinei, como sempre fazia. Tudo estava normal. No ponto final, liguei para minha mulher, que falou sobre explosões. Ela saiu para ver o estava acontecendo, com Cauã no colo, e só teve tempo de correr. Além do nosso filho, de 6 anos, os pais e o avô dela não tiveram tempo para nada", lamentou. O casal passou a noite em busca de notícias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.