William Castanho/Estadão
William Castanho/Estadão

Motorista embriagado e sem CNH atropela três em bar de Pinheiros

Vítimas estavam em mesa na calçada - mulher está internada em estado grave; condutor tentou fugir do local, mas foi impedido

Luciana Amaral, Luiz Fernando Toledo e William Castanho, O Estado de S.Paulo

16 Maio 2016 | 07h27

SÃO PAULO - Um motorista embriagado que dirigia em alta velocidade perdeu o controle do veículo, invadiu a calçada e atropelou três pessoas - uma delas está em estado grave -, em um bar em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira, 16. O acidente aconteceu à 0h05 na Rua Cardeal Arcoverde, na esquina com a Rua Belmiro Braga.

O motorista, o pintor Erick Silveira dos Santos, de 34 anos, tentou fugir do local, mas foi impedido por frequentadores do estabelecimento. Ele foi preso em flagrante, sem direito à fiança, depois de realizar teste do bafômetro e ficar constatado que tinha 0,72 miligrama de álcool por litro de ar - o limite aceitável é de 0,05 miligrama por litro. Além das acusações de atropelamento, lesão corporal culposa na direção de veículo automotor e embriaguez ao volante, Santos responderá por dirigir sem permissão, já que não tinha Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Ele foi encaminhado ao 91.º Distrito Policial (Ceagesp).

As vítimas do atropelamento são dois homens e uma mulher que estavam em uma mesa na calçada. Os rapazes foram levados para a Santa Casa, na região central, e para o Pronto-Socorro da Lapa, na zona oeste. O quadro deles era estável na manhã desta segunda-feira. A jovem, em estado mais crítico, foi encaminhada para o Hospital das Clínicas, também na zona oeste. Cinco viaturas do Corpo de Bombeiros prestaram socorro aos feridos.

Às 6 horas desta segunda-feira, além do carro, mesas e cadeiras quebradas pela batida continuavam no local. Uma faixa da direita ficou interditada. 

"A vítima teve graves lesões nos membros inferiores, em ambas as pernas, e uma perda muito grande de sangue. Os procedimentos dos médicos aqui no local foram para suprir essa falta de sangue. Como o HC é bem próximo, ela logo foi estabilizada", explicou o tenente Marcos Machado Novaes.

Segundo relato de testemunhas, instantes antes do acidente, um veículo também passou em alta velocidade pela Rua Cardeal Arcoverde. Logo atrás veio o Chevrolet Corsa branco que atingiu os frequentadores do bar. "Um carro preto passou 'a milhão'. O motorista tentou fugir, saiu correndo pela Rua Belmiro Braga, mas foi segurado. Estavam na mesa a moça, o marido e um amigo", contou a professora de Inglês Letícia Rodrigues, de 23 anos.

"Provavelmente era um racha. O carro estava em altíssima velocidade. Só ouvi o estrondo. Já estava em casa, moro aqui ao lado. O bar já estava fechando. Um funcionário foi correndo me avisar", disse o proprietário do estabelecimento, Franco Chiarello, de 33 anos.

Ao atropelar as três vítimas, o motorista acelerou o veículo para deixar o local, mas não conseguiu dar partida. Ele tentou abrir a porta, mas também não conseguiu. Então, saltou pela janela. "Agarrei ele e falei: 'você não vai correr'. Ele foi levado para longe das pessoas e ficou cercado lá. Ele estava com medo de ser agredido", afirmou uma testemunha que não quis se identificar.

O caso está sob responsabilidade do 14.º Distrito Policial (Pinheiros).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.