Motorista economiza 10 minutos no primeiro dia útil da nova Marginal

Com pista central, trajeto pela via no sentido Castelo Branco teve ganho de tempo de 21%

Bruno Ribeiro e Renato Machado, de O Estado de S. Paulo

30 Março 2010 | 08h24

 

SÃO PAULO - A terceira pista da Marginal do Tietê custou aos cofres do Estado R$ 1,3 bilhão e rendeu ao motorista, pela manhã, uma economia de 10 minutos no percurso de ponta a ponta da via, no primeiro dia útil depois da inauguração. É um ganho de 21% em comparação com a segunda-feira da semana passada, mas abaixo do alívio de 35% prometido por Estado e Prefeitura na via mais congestionada da capital.

 

Veja também:

linkFalta de sinalização faz Prefeitura adiar proibição de motocicletas

blog Blog do trânsito: confira a situação das vias

blog Marginal do Tietê. A pergunta é: vai resolver?

 

A reportagem do Estado percorreu oito vezes a pista expressa da Marginal do Tietê em seus dois sentidos durante o horário de pico matinal - às 7, 8, 9 e 10 horas. Os trajetos foram feitos ontem e na segunda-feira passada, mesmo dia da semana e que apresentou as mesmas condições meteorológicas. No sentido menos carregado nesse horário, partindo da Rodovia Castelo Branco para a Ayrton Senna, praticamente não houve variação nos tempos de viagem, até porque as paradas em congestionamento não costumam ser duradouras. Em média, os trajetos foram feitos em 21 minutos.

 

A mudança entre os períodos pré e pós Nova Marginal aconteceu no sentido inverso, uma vez que é rota para o trabalho na região mais adensada da cidade. Na semana passada, o trajeto foi feito em aproximadamente 47 minutos, calculando-se a média das quatro viagens. O índice ontem foi de 37 minutos. "Não dá para dizer que não parou, porque a Marginal parou sim e várias vezes. Só que era mais rápido e ela logo voltava a andar devagarinho, diferente daquela eternidade no congestionamento de antes", diz o técnico em Marketing Wilson Pedroso, em um dos momentos em que ficou parado, perto da Ponte Cruzeiro do Sul.

 

Acidentes. Vale ressaltar que a redução no tempo de viagem poderia ter sido bem menor, isso porque na segunda-feira passada houve um acidente com morte envolvendo motos na Marginal do Tietê. O trânsito ficou prejudicado durante toda a manhã no sentido Castelo Branco e, por isso, a viagem chegou a durar 59 minutos no início da manhã (às 7 horas) e depois foi sendo reduzida. Às 10h, a viagem durou 30 minutos, bem perto dos 28 minutos registrados ontem. Não foram registradas ocorrências relevantes na Marginal ontem.

 

"E ainda é possível que esse ganho na Marginal do Tietê seja perdido em outro ponto. É o paradoxo do trânsito: você tira um ponto de gargalo e aparece outro", diz o engenheiro de tráfego e mestre em Transportes pela Escola Politécnica (Poli-USP) Sérgio Ejzenberg. Um possível exemplo é a Marginal do Pinheiros, que ontem apresentou lentidão, apesar de o índice ter caído em toda a cidade. "É provavelmente em decorrência da sazonalidade. Véspera de pagamento é historicamente um período com menos viagens na cidade", completa.

 

Lentidão

 

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) divulgou ontem dados que apontam uma redução de 47% em média na lentidão na Marginal do Tietê durante o pico da manhã - a lentidão mede a extensão de veículos praticamente parados e não o tempo de deslocamento. Na segunda-feira passada, os congestionamentos na via entre 7 e 10 horas tiveram média de 17 quilômetros, ante 9 km ontem.

 

A situação foi parecida no restante da cidade. No horário de pico da manhã, foi registrada lentidão média de 63,7 km, ante 92 km da segunda-feira da semana passada - redução de 30%. A maior fluidez foi registrada às 10 horas, com diminuição de 82%. Apenas às 16 horas o índice de lentidão ficou acima dos 46 km. Até as 20 horas, a média foi de 8 km - 63% inferior na comparação com a semana passada.

 

Os congestionamentos foram menores do que na segunda-feira passada mesmo com a chuva.

 

 

PARA LEMBRAR

Contratempos prejudicaram intervenções

 

Menos de um mês depois do início da ampliação da Marginal do Tietê, a obra teve seu primeiro contratempo: no fim de junho de 2009, uma retroescavadeira quebrou uma tubulação de gás na Ponte do Piqueri, o que provocou 177 quilômetros de lentidão. O problema se repetiu uma semana depois, na Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, em Pirituba.

Em agosto, o governo do Estado acelerou o cronograma de entregas. Inicialmente, as pistas seriam liberadas em março de 2010, mas dois trechos foram entregues em outubro.

 

FICHA TÉCNICA

Via mais importante da capital tem projeto de ampliação

discutido desde 2005

Extensão 23,5 km (cada sentido)

Km novos de pista46

Fluxo 350 mil veículos/dia, 1/5 de caminhões

Acessos a rodovias6 (Dutra, /Anhanguera/Bandeirantes/

Fernão/Castelo e Ayrton Senna)

Custo R$ 1,3 bi

Conclusão outubro de 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.