Motorista deve evitar estrada das 15h às 22h

Rodovias na saída de SP têm vários trechos em obras; neblina também merece atenção

Camila Brunelli e José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

26 Abril 2012 | 22h30

SÃO PAULO - As concessionárias que operam as principais estradas que saem da capital paulista preveem pontos de congestionamento e recomendam que o motorista evite viajar das 15h às 22h desta sexta-feira, 27, e das 8h às 13h de sábado, 28. A expectativa é de que 2,7 milhões de veículos deixem a capital. O paulistano deve enfrentar problemas em três das principais rodovias paulistas - há pistas parcialmente interditadas para manutenção, ampliação ou correção de falhas.

Na saída pela Régis Bittencourt (BR-116), rumo a Curitiba, o motorista vai encontrar seis pontos com interdição parcial e terá de trafegar por uma faixa. Há interdições de meia pista no km 317,5 (ponte sobre o Rio São Lourenço II), no km 329,6 (ponte sobre córrego) e no km 329 (ponte sobre o Rio Juquiá), no município de Juquitiba.

Já o trecho da Rodovia Castelo Branco (SP-280) entre o km 26 e o km 30 no sentido interior, em Barueri, exige atenção por causa das obras de construção da quarta faixa. Os trabalhos foram interrompidos para o feriado e o local está sinalizado. A faixa adicional também está sendo construída no lado oposto, sentido interior-capital.

A Rodovia Raposo Tavares (SP-270), que liga São Paulo ao extremo oeste do Estado, tem 42 km de pistas com obras de duplicação, entre o km 117,5, em Araçoiaba da Serra, e o km 159,5, em Itapetininga. Em vários pontos há estreitamento de faixas. A concessionária instalou 32 placas com mensagens de alerta e dicas de segurança. Os pontos em obras têm até luz noturna, mas o motorista deve dirigir com atenção redobrada.

No caso do Sistema Anhanguera-Bandeirantes, a preocupação maior deve ser com a volta. Caminhões que se destinam à capital pela Rodovia dos Bandeirantes devem utilizar a Via Anhanguera no trecho do km 48 ao km 23, entre Jundiaí e São Paulo, chegando à rodovia pela saída 48 da Rodovia dos Bandeirantes.

Litoral norte. Para o litoral norte, o trecho mais crítico são os oito quilômetros de serra da Oswaldo Cruz (SP-125), que liga Taubaté, no Vale do Paraíba, a Ubatuba. A neblina dificulta a visão da pista, que tem curvas em "cotovelo", o que pode provocar a invasão da pista contrária. Os 18 quilômetros de serra da Rodovia dos Tamoios (SP-99), principal ligação entre o Vale do Paraíba e litoral norte, já vêm registrando neblina intensa nas últimas semanas. O mesmo ocorre na Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123), que liga Taubaté e Campos do Jordão.

Litoral sul. A Ecovias, que administra o sistema Anchieta-Imigrantes, implementa às 14 horas desta sexta a Operação Descida 7 X 3, com as duas pistas da Anchieta e a pista nova da Imigrantes operando no sentido litoral. A subida dos motoristas para a capital será feita apenas pela Rodovia dos Imigrantes. Para facilitar, a Ecovias oferece um serviço de viagem, disponível pelo site da empresa e pelo celular, no endereço http://tempodeviagem.ecovias.com.br. Ele calcula o tempo médio que os veículos levam para percorrer cada um dos trechos. O motorista também poderá acompanhar as condições do trânsito pelo twitter da concessionária (@_ecovias). Já a Ecopistas, que administra o corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto, oferece informações pelo Twitter (@ecopistas) e pelo site http://www.ecopistas.com.br . /Colaborou Reginaldo Pupo.

Mais conteúdo sobre:
motoristas rodovias estradas feriado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.