Motorista de Porsche chora ao depor e diz que acelerou por medo de assalto

O engenheiro Marcelo Malvio Alves de Lima, de 36 anos, acusado de dirigir um Porsche a 150 km/h, prestou depoimento ontem no 15.º DP (Itaim-Bibi). Ele se envolveu no acidente que causou a morte da advogada Carolina Menezes Cintra Santos, de 28, no dia 9. O Porsche bateu no Tucson da advogada na Rua Tabapuã.

, O Estado de S.Paulo

22 Julho 2011 | 00h00

O depoimento durou duas horas. Lima chorou e disse estar chocado com a morte de Carolina. Segundo o delegado Paul Henry Verduraz, o engenheiro afirmou ter se assustado com uma pessoa que apareceu ao lado de seu carro. "Ele disse que pensou que ia ser assaltado e arrancou com o carro, mas que estava apenas um pouco acima de 60 km/h", afirmou. Lima disse também que havia tomado uma taça de vinho em um jantar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.