JB Neto/AE
JB Neto/AE

Motorista de ônibus diz não ter visto ciclista antes de atropelá-lo em SP

Ele afirma que ao fazer curva, ouviu um barulho; olhando pelo retrovisor, viu empresário no chão

Marcela Gonsalves, estadão.com.br

13 de junho de 2011 | 19h39

SÃO PAULO - O motorista do ônibus que atropelou Antonio Bertolucci na manhã desta segunda-feira, 13, afirmou à polícia não ter visto o empresário andando de bicicleta em uma alça de acesso à Avenida Sumaré, na zona oeste de São Paulo, antes do acidente. De acordo com o motorista, ele estava na via quando, ao fazer uma curva, ouviu um barulho. Ao observar pelo retrovisor, percebeu que a vítima estava no chão.

 

Bertolucci, de 68 anos, chegou a ser levado para o Hospital das Clínicas mas não resistiu. Ele era presidente do Conselho de Administração do Grupo Lorenzetti, fabricante de duchas e chuveiros, e tinha o hábito de passear duas horas de bicicleta antes de ir para a sede da empresa.

 

Na noite desta segunda, ciclistas realizam uma manifestação no local do acidente. Segundo a Polícia Militar, havia cerca de 50 pessoas reunidas na Praça Caetano Fraccaroli por volta das 19h30 desta segunda-feira.

 

Durante a tarde, os organizadores do protesto prometeram instalar uma "ghost bike" - bicicleta pintada de branco que simboliza a morte de um ciclista - e fazer uma homenagem com velas e flores.

 

A principal reivindicação é chamar atenção para o art. 201 do Código de Trânsito Brasileiro, que determina que veículos somente devem ultrapassar bicicletas quando houver uma distância lateral de 1,5 metro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.