Motorista de micro-ônibus que atropelou 11 pessoas na capital está preso

Caso pague fiança, Ademir Ferreira, 63 anos, é liberado para responder pelo crime em liberdade

Ricardo Valota e Pedro da Rocha, do estadão.com.br,

14 de fevereiro de 2012 | 03h49

SÃO PAULO - O motorista de micro-ônibus Ademir Ferreira Pinto, de 63 anos, responsabilizado por um atropelamento que deixou duas mulheres mortas e outras nove vítimas com vários ferimentos, às 5h45 de segunda-feira, 13, na Brasilândia, zona norte da capital paulista, foi autuado por homicídio e lesão corporal culposos no final da noite na Central de Flagrantes do 20º Distrito Policial (DP), da Água Fria. Transferido para a carceragem do 72º DP, de Vila Penteado, Ademir espera por uma vaga em algum Centro de Detenção Provisória (CDP), mas pode ser liberado caso pague uma fiança, cujo valor não foi informado pela Polícia Civil.

 

Todo o desenrolar do caso durou mais de 19 horas, desde o atropelamento até o momento em que o motorista chegou à delegacia da Vila Penteado, pela segunda vez, pois já havia ficado por algumas horas no mesmo DP, mas teve que ser transferido primeiramente para o 74ºDP, de Parada de Taipas, e depois para a Água Fria, pois parentes das vítimas, testemunhas e moradores da região reuniram-se em frente ao prédio policial na Vila Penteado e ameaçavam linchar Ademir. A tragédia ocorreu num trecho de declive acentuado da Rua Itambé do Mato Dentro, vitimando fatalmente a empregada doméstica Dirce Rangel Viana, de 42 anos, e a passadeira, Adjane Matos Pereira, 34, que morreram no local.

 

Elas e outras nove pessoas estavam entre os passageiros que formavam uma fila junto ao ponto quando o micro-ônibus, da Transcooper, de linha Jardim Guarani/Barra Funda, atingiu o grupo. Ademir apresentou algumas contradições no depoimento. Ele disse que teria ocorrido um defeito no freio de mão e que o veículo desceu sozinho. Uma perícia foi feita no local e foi constatado que o freio não apresentou defeitos, o que leva a polícia a acreditar que a alavanca não foi acionada totalmente. Ao estacionar o veículo e acionar o freio de mão, Ademir saiu do micro-ônibus, deixando o motor ligado, e foi manobrar um segundo veículo à frente. Segundos depois, o veículo desceu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.