Motorista bebe 18 vezes mais do que o permitido

Condutor foi flagrado em estrada do Paraná, fez bafômetro e por pouco não provocou acidente

EVANDRO FADEL / CURITIBA, O Estado de S.Paulo

31 Março 2012 | 03h02

Um morador de 47 anos de Santa Mariana, no norte do Paraná, a 400 quilômetros de Curitiba, foi preso na noite de anteontem na BR-369, no município vizinho de Cornélio Procópio, dirigindo com teor alcoólico no sangue 18 vezes superior ao tolerado pela legislação.

Ele foi encaminhado para a delegacia de polícia, onde foi instaurado inquérito, mas acabou liberado após o pagamento de fiança.

De acordo com o policial rodoviário federal Paulo Américo, após ser abordado, o homem fez o teste do bafômetro, que apontou 1,82 miligrama de álcool por litro de sangue. O limite estabelecido pelo Decreto 6.488/2008 é de 0,10 miligrama por litro de ar expelido dos pulmões. Acima de 0,33 mg/l, o motorista comete crime previsto no Código de Trânsito Brasileiro.

O motorista estava sozinho em um Gol e quase provocou um acidente no km 83, quando invadiu a pista contrária, onde trafegava outro carro.

A Polícia Rodoviária Federal foi alertada por motoristas que perceberam os erros cometidos pelo condutor embriagado. Segundo os policiais, quando o carro foi abordado, o homem ficou debruçado sobre o volante e seu estado não deixava dúvidas de que estava bêbado.

Polêmica. Na quarta-feira, o Superior Tribunal de Justiça decidiu que o motorista que recusar o bafômetro e exame de sangue não poderá ser punido. A decisão, na prática, esvazia a lei seca. Só o Supremo Tribunal Federal pode alterar a interpretação. Projeto de lei que está na Câmara também pode tornar mais dura a punição aos motoristas bêbados, ao penalizar quem dirige com qualquer quantidade de álcool no sangue.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.